sábado, 20 de outubro de 2018

Semana da Alimentação


Terminou a semana temática subordinada ao tema “Alimentação saudável”, que se revelou muito enriquecedora em vivências visuais, tácteis, olfativas e degustativas… 😋😋
O Outono, as suas características e os seus frutos já tinham dado inicio ao tema... e temos um agradável "cantinho" na escola, com a preciosa colaboração dos encarregados de educação e o empenho diário das crianças.




Com as atividades programadas para esta semana, pretendeu-se promover uma reflexão, sobre hábitos de alimentação saudáveis e introduzir novas práticas no quotidiano de todos, em particular, os pequenos-almoços e lanches escolares.
Todas as atividades planificadas para as três salas, foram voltadas ao ensinamento de bons hábitos alimentares, que constituem o consumo diário de frutas, legumes, grãos, cereais, leite e derivados e, contribuíram para o processo de consciencialização e aprendizagem, apresentando num contexto lúdico a importância de cuidar da saúde.
Desde histórias (sobre alimentação e desperdício) até à prova de frutos, confeção de pipocas e bolos (com pouco açúcar e fruta), jogos de descoberta na cantina... foi esta a forma de chamar atenção para a necessidade de cuidar da nossa alimentação, sensibilizando as crianças para a adoção de práticas de alimentação e estilos de vida saudáveis e compreendendo a importância da alimentação na preservação da saúde.


 




Foi também trabalhada a Área da Matemática através da formação de conjuntos de frutas semelhantes; a contagem de quantos elementos tinha cada conjunto e qual era o maior e o menor; a pesaram de frutas e a noção de “mais leve” e o “mais pesado”; e a realização de registos gráficos.
 

Na continuidade do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no âmbito do Programa PASSEzinho (Programa de Alimentação Saudável em Saúde escolar) que tem como objetivos criar atitudes positivas face aos alimentos e à alimentação; compreender a relação entre saúde e a alimentação; e promover hábitos alimentares saudáveis através da educação, observação e experiência, recebemos a visita das enfermeiras do Centro de Saúde de Esposende que dinamizaram uma atividade, ligada à temática da alimentação e implementaram a nível de grupo, um jogo sobre as frutas e os seus benefícios para os diferentes órgãos do corpo. Todos estiveram atentos e participativos!






Com a dinamização destas atividades integradas propusemo-nos trabalhar a temática da alimentação de forma transversal proporcionando o maior número de experiências às crianças assim como trabalhar a educação para a saúde, um domínio integrado na Área de Conhecimento do Mundo, o qual visa espicaçar a curiosidade natural das crianças e o seu desejo de saber e compreender o porquê das coisas.

Sabemos que com a correria do dia-a-dia, montar uma “lancheira saudável” pode ser uma tarefa difícil… Salgados, bolos industrializados (ensacados) e sumos de caixinha, entre outras guloseimas, podem ser a resposta fácil, mas normalmente estes produtos são ricos em açúcar, sal e gordura saturada e, portanto, pouco benéficos para a saúde. 
Apelamos pois a um cuidado extra, na preparação dos lanche das crianças porque, ao investirmos na preparação de uma alimentação saudável, estamos a investir na saúde dos nossos filhos!
Na escola, é oferecido o "leite escolar" e aquilo que vem de casa não necessita ser em grande quantidade (meio pão é suficiente para os mais pequenos e uma ou meia peça de fruta).
Seguem-se algumas sugestões simples de lanches:


segunda-feira, 15 de outubro de 2018

A organização da sala de atividades no jardim de infância


Logo no início do ano letivo surge a preocupação do educador de infância em como organizar a sala de atividades.
A organização do espaço da sala de atividades por áreas de interesse bem definidas permite uma variedade de ações muito diferenciadas e reflete um modelo educativo mais centrado na riqueza dos estímulos e na autonomia da criança. Por sua vez, os objetivos e a natureza de cada área ditam o tipo de atividades que nela devem ser realizadas, se a tarefa / brincadeira é de caráter mais livre ou orientada.

Para uma melhor organização do espaço torna-se necessário selecionar as áreas fundamentais, que podem ser alteradas durante o ano, evitando sobrecarregar a sala de atividades. A organização da sala pode sofrer mudanças periódicas, segundo o desejo das crianças ou apenas porque a aquisição de novos materiais assim o justifique.
As áreas devem estar bem definidas e identificadas (com o nome, símbolo e número) e os materiais arrumados em locais fixos, para que as crianças se sintam orientadas e capazes de assumir uma atitude autónoma. Cada área tem um limite de utilizadores (ex.: cartões com os nomes com velcro), o que ajuda as crianças a compreender e a cumprir as regras. Sabem de antemão que não devem retirar o cartão do colega para colocar o seu. Assim brincam nas áreas da sala, fazendo escolhas e tomando decisões…
Existem áreas que, pela sua natureza, não devem ser colocadas próximas uma da outra, ex.: “área das construções” que é mais barulhenta, com a “área da biblioteca” que exige silêncio e concentração.

Os símbolos



   
              
A descodificação de diferentes códigos simbólicos é também trabalhada na educação pré-escolar, quer através do reconhecimento de símbolos convencionais quer através da criação de símbolos próprios, convencionados, para identificação e substituição de palavras. Assim, as crianças mais novas que ainda não reconhecem o seu nome e ainda não o sabem escrever, possuem um símbolo (cor/ boneco) para os ajudar a reconhecê-lo nos diferentes instrumentos de trabalho utilizados na sala. 
Os mais velhos, já com maior controlo da sua motricidade fina, podem escrever uma ou mais letras do seu nome e identificam-nos nas diferentes situações.Os símbolos servem também para etiquetar os cabides, para saberem onde vão pendurar as coisas (e os adultos começarem a saber de quem é o quê!), os portefólios, a marcação de lugar à mesa e tudo que seja necessário identificar... 
Junto do nome cada criança pode haver um número associado (numero de ordem nos documentos institucionais) e que a vai ajudar a tomar consciência do sentido de número, sua representação e ordem.


Ao fim de pouco tempo, todos já conhecem o símbolo que as representa bem como o da maioria dos amigos da sala.
“O envolvimento das crianças em situações matemáticas contribui não só para a sua aprendizagem, como também para desenvolver o seu interesse e curiosidade pela matemática”.
 Neste processo emergente de aprendizagem da escrita, as primeiras imitações que a criança faz do código escrito tornam-se progressivamente mais próximas do modelo, podendo notar-se tentativas de imitação de letras e até a diferenciação de sílabas. Começando a perceber as normas da codificação escrita, a criança vai desejar reproduzir algumas palavras (o seu nome, o nome dos outros, palavras e/ou frases que o/a educador/a escreve, etiquetas, etc.). Aprender a escrever o seu nome tem um sentido afetivo para a criança, permitindo-lhe fazer comparações entre letras que se repetem noutras palavras e aperceber-se de que o seu nome se escreve sempre da mesma maneira.” OCEP/2016
No jardim-de-infância tudo tem um objetivo pedagógico e a organização da sala também tem!


sábado, 13 de outubro de 2018

Semana cheia


Esta semana já começamos a interiorizar as rotinas semanais:
Segunda feira- música
Terça-feira- ioga
Quarta- feira - educação física
 As rotinas de quinta  e sexta são geridas e intencionalmente  planeadas  por cada educadora e conhecidas pelas crianças.

"O tempo educativo tem uma distribuição flexível, embora corresponda a momentos que se repetem com uma certa periodicidade. A sucessão de cada dia, as manhãs e as tardes têm um determinado ritmo, existindo, deste modo, uma rotina que é pedagógica porque é intencionalmente planeada pelo/a educador/a e porque é conhecida pelas crianças, que sabem o que podem fazer nos vários momentos e prever a sua sucessão, tendo a liberdade de propor modificações. Nem todos os dias são iguais, as propostas do/a educador/a ou das crianças podem modificar o quotidiano habitual. 
O tempo diário inscreve-se num tempo, semanal, mensal e anual, que tem ritmos próprios e cuja organização tem, também, de ser planeada. A vivência destas diferentes unidades de tempo permite que a criança se vá progressivamente apropriando de referências temporais que são securizantes e que servem como fundamento para a compreensão do tempo: passado, presente, futuro."
OCEPE -2016   






























segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Aulas de yoga



Iniciam amanhã, no período da manhã, as aulas de yoga. Esta atividade é promovida pela Associação de Pais e aprovada pela Direção do Agrupamento. As aulas terão uma duração de 20 minutos para cada grupo/turma.
O Yoga para crianças é apresentado de uma maneira informal, lúdica e espontânea. Histórias, exemplos, alusões a elementos da natureza, jogos e brincadeiras. Durante a aula é feita uma combinação de exercícios respiratórios (pránáyama) e posições físicas (ásanas), baseados em elementos da natureza, além de algumas técnicas de descontração e relaxamento O movimento ou a mobilidade nas posições de yoga auxiliam a criança a interiorizar a prática, a sentir mais profundamente o corpo e a entender os seus limites. A concentração é uma variante sempre presente ao longo de toda a prática.
Seguem-se alguns dos seus conhecidos Benefícios:
- Conhecer, aceitar e a gerir as suas emoções, promovendo a capacidade de auto-regulação e autocontrole, tornando-se crianças menos reativas;
- Viver no momento presente, libertando ansiedade, expectativa e consequente frustração;
- Reconhecer a necessidade de relaxar e como relaxar, conseguindo usufruir de momentos de relaxamento;
- Regular os estados de cansaço, agitação, agressividade, apatia, etc;
- Aceitar e usufruir de momentos de silêncio, acalmando emoções e pensamentos;
- Treinar e desenvolver a capacidade de concentração e imaginação;
- Cultivar uma auto-imagem positiva e equilibrada;
- Desenvolver e estimular a coordenação motora;
- Desenvolver força e agilidade;
- Favorecer um melhor funcionamento do corpo;
- Conferir uma base ética de respeito por si e pelo outro;
- Estimular a alegria de viver e desenvolver na criança a consciência de si mesma;
- Desenvolver a sua sensibilidade, criatividade e auto-estima;
- Desenvolver formas de comunicar mais pacíficas, criativas e orientadas para a Harmonia;
- Desenvolver o sentido da Gratidão;
- Promover um estado de compreensão e calma interior;
- Desenvolver a expressão da sua individualidade e autonomia emocional.
Imagem relacionada

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Pirilampo Mágico 2018


A FENACERCI-Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social, irá dinamizar em colaboração com a RTP, entre os dias 24 de setembro e 14 de outubro, a II Fase da Campanha Pirilampo Mágico.
Esta iniciativa pretende contribuir através de uma participação plural e responsável de todos na construção de pessoas e de sociedades mais justas e inclusivas, no quadro da democracia, do respeito pela diversidade e da defesa dos direitos humanos.
O Pirilampo Mágico assume este ano uma nova imagem, mais ousada e moderna, mas mantém a sua missão: lutar pela defesa e consagração dos direitos das pessoas com deficiência e apoiar as organizações que lhes prestam suporte.
Resultado de imagem para campanha pirilampo mágico 2018
A nossa escola tem "pirilampos" para venda (2€) e as crianças estão a ser sensibilizadas para serem solidárias com esta causa. 
Contamos com todos para a compra e divulgação do Pirilampo Mágico, que angaria fundos que visam a criação de respostas sustentadas e de qualidade, destinadas à população com deficiência intelectual e/ou multideficiência.
Resultado de imagem para campanha pirilampo mágico 2018

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Lanche na praia - Zouri

Aproveitando o bom tempo que se tem feito sentir, fomos esta semana lanchar à praia. Aprendemos a caminhar em grupo e a respeitar regras de segurança e, aproveitamos para usufruir mais um pouco das brincadeiras na areia, já que o Outono ainda teima em não chegar.
Com esta visita à praia de Cepães iniciamos também o projeto de reciclagem plástico e redes abandonadas nas praias, que levaremos a cabo, durante o ano, com a parceria da Associação de Pais e o Centro de Educação Ambiental. 
O produto recolhido será entregue à Zouri que com ele fará calçado(chinelos) amigo do ambiente e também dos animais. 


Certamente que voltaremos a repetir... foi uma manhã bem passada!!


«a Zouri nasceu há dois anos num sonho nosso de querer retirar lixo plástico do oceano e incluí-lo numa linha de calçado eco-vegan. A nossa grande paixão pelo oceano e pelos valores de preservação da natureza foi a maior motivação», começa por explicar Adriana Mano uma das criadoras da marca.

Sandálias Zouri

A primeira semana


Começamos a semana e o ano letivo, em festa! Tivemos fantasia, pinturas faciais, balões, brincadeira, mães e pais empenhados em facilitar a integração dos seus filhos!
Para algumas meninas e meninos mais pequeninos, foi um bocadinho difícil deixar a mãe mas, com a ajuda das meninas e meninos mais velhos, tudo se vai compondo.  Já se começam a secar as lagriminhas, os sorrisos começam a despontar e daqui a poucos dias teremos crianças felizes!


  

  

  



  
  

  

  

  

 

Durante a semana continuamos com muita brincadeira, com a  exploração dos materiais existentes nas salas e em todos os espaços do Jardim de Infância.
Os mais velhos continuam a ajudar os mais novos e começam a criar laços afetivos que serão cada vez mais fortes.